Desafios que geram movimento

Já sei o que você está pensando.

Já passamos do meio do ano e sequer lembrei das minhas resoluções  de ano novo.

O ano ainda nem acabou e já estou com o peito apertado e o coração batendo na garganta com uma sensação de paralisia que parece aumentar o sentimento de não sem saber para onde ir.

O trabalho que não muda. A conta que não fecha. Os negócios que não saem do lugar. E, a pandemia que não passa.

Na cabeça aquela repetição que não para

“todos os resultados de sua vida são de sua inteira responsabilidade”.

PÂNICO?

Antes de enlouquecer, quero te propor um jogo  em quatro desafios.

Você vai precisar de papel e lápis.

Pronto?

O primeiro é o desafio da AUTOCONSCIÊNCIA. 

Para cumprir as tarefas desse desafio você deverá responder as seguintes questões:

_ Qual lugar minha empresa, meu negócio, meus relacionamentos,  ou eu mesmo ocupo em minha vida?

_ Qual lugar eu gostaria de ocupar (ou, que ocupassem)?

_ O que eu estou fazendo que me ajuda a construir a sensação de paralisia?

– Minha estrutura? Meu chefe? Minha forma de pensar? Minha falta de conhecimento?

_ O que eu fiz ou estou fazendo que está me trazendo esse resultado?

A análise do presente é o primeiro passo para a construção da liberdade de movimentos.

O Desafio número dois é o DESAPEGO.

Esse momento talvez seja o mais desafiador de todos. Provavelmente você deve ter criado um sistema onde colocou em prática suas ações com foco num resultado determinado. Contudo, se você tem a sensação de paralisia talvez suas ações e decisões não estejam funcionando. Faça uma lista com todas as suas ações diárias, e avalie uma por uma. Tente responder quais os benefícios que cada  uma dessas ações estão trazendo para você.

Se não conseguir responder, DESAPEGUE. Deixe todas as ações e decisões que não trazem resultados para trás. Exercite o DESAPEGO, tenha a coragem de dizer sim, não está funcionando, preciso mudar.

Essa decisão vai abrir um espaço na sua mente, e você estará mais preparado para

lidar ao desafio de número três, MUDANDO DE ATITUDE.

Mudar de atitude é um desafio e tanto.

Como fazer?

Lápis e papel.

Antes de qualquer coisa, é muito importante deixar claro, mudar de atitude não significa destruir tudo o que fez até agora, e começar do zero.

Significa, olhar através de um outro ângulo, observar e experimentar novas maneiras para fazer o que precisa ser feito. Comece escrevendo o que você precisa substituir e como vai fazê-lo. Pense em iniciar com algo pequeno, que dependa somente de você.

Quando assumir esse comprometimento, podemos passar para quarta e última fase do jogo, A MUDANÇA DE ROTINA.

Esse momento final do nosso jogo é a consolidação do seu sucesso. Se você conseguiu chegar até aqui, não desista.

Se conseguiu passar pelas etapas anteriores, irá perceber que talvez as velhas rotinas não caibam mais.

Anote suas ações rotineiras e faça uma avaliação dos resultados que elas trazem para a sua vida.

Quanto tempo você perde ao fazê-las?

Tome um tempo para examinar uma por uma.

Depois compare as ações que ficaram com os resultados dos desafios  anteriores.

E então observe, o conjunto de suas respostas nesse jogo fazem sentido, são coerentes?

Você estaria disposto a colocar em prática as conclusões obtidas?

Agora, a última pergunta:

Com base no resultado dos quatro desafios acima, o que você precisa fazer para que o resultado da equação abaixo seja MOVIMENTO?

AUTOCONSCIÊNCIA+DESAPEGO+MUDANÇA DE ATITUDE+MUDANÇA DE ROTINA = ?

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.